Novidades

A 4ª Revolução Industrial Traz Novas Profissões para o Mercado

18.01.2019
Mercado

Entre cinco e dez anos, o SENAI aponta que 30 ocupações serão criadas para atender às necessidades da evolução tecnológica no setor industrial

Há dois anos, o tecnólogo em processamento de dados Vanderson de Moura Vauruk, 37 anos, resolveu apostar em um negócio próprio. Junto com um sócio, montou a startup Hidrobytes para oferecer soluções em internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) – a tecnologia conecta máquinas e as torna inteligentes.

Profissionais como o empreendedor paranaense devem ser cada vez mais requisitados pelas empresas diante do uso intensivo de tecnologias digitais. A previsão do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) é que, em até dez anos, devem nascer pelo menos 30 novas profissões relacionadas à chamada Indústria 4.0.

Na lista de novos profissionais está o Analista de IoT, que desenvolve sensores que conectam equipamentos e geram dados essenciais à tomada de decisão nas empresas. As pessoas que trabalham com a tecnologia atualmente são empreendedores com formação genérica na área de informática, geralmente.

Vauruk, por exemplo, trabalhou como desenvolvedor e arquiteto de software até encontrar o sócio, Marcos Nadolny, e decidir investir em IoT. 

Estudos apontam que, até 2030, vamos ter dez dispositivos para cada ser humano conectado na internet. Imagine o tamanho desse mercado – diz ele, ao explicar uma das razões de ter criado uma startup na área.

SEGMENTOS

O segmento de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) deve ser um dos mais dinâmicos nos próximos anos, pois a Indústria 4.0 dependerá fortemente do desenvolvimento de softwares e hardwares customizados às necessidades das empresas.

O trabalho do SENAI aponta outras quatro novas profissões nessa área: especialista em big data, engenheiro de softwares, engenheiro de ciber segurança e analista de segurança e defesa digital.

Além da área de TIC, a previsão é que outros sete segmentos devem ter seus processos transformados pelas tecnologias digitais mais rapidamente: Automotivo, Petróleo e Gás, Químico e Petroquímico, Alimentos e Bebidas, Máquinas e Ferramentas, Têxtil e Vestuário e Construção Civil (veja mais detalhes no quadro abaixo).

Na avaliação de Rafael Lucchesi, diretor-geral do SENAI, é importante conhecer as tendências do mercado de trabalho ao planejar a vida profissional, encontrando assim o ideal em um rol de tantas possibilidades:

As tecnologias digitais vão criar uma miríade de novos negócios e transformar o mercado de trabalho. As pessoas que compreenderem melhor as tendências e se qualificarem para esse mundo profissional serão mais bem-sucedidas.

Segundo Lucchesi, o desafio principal do futuro será a necessidade de aprendizado permanente, que acompanhe o ritmo constante da evolução tecnológica:

As pessoas terão um processo contínuo de aprendizado ao longo da vida; vão precisar se requalificar permanentemente para adquirir novas competências.

Segundo o relatório “O Futuro do Emprego (The Future of Jobs Report 2018)”, do Fórum Econômico Mundial, 54% de todos os trabalhadores precisarão de aperfeiçoamento profissional significativo nos próximos anos.

De acordo com o trabalho, 35% dessas pessoas vão ter de passar por treinamento por até seis meses; 9%, em cursos de até um ano e 10% terão de adquirir novas competências em formação de mais de um ano.

Ainda segundo o estudo, 133 milhões de novas ocupações podem surgir até 2022, inseridas na nova divisão do trabalho entre humanos, máquinas e algoritmos. A recomendação dos especialistas aos profissionais que desejam se atualizar é buscar entender quais são as tecnologias que mais impactam em seu mercado.

Em cada segmento, há conhecimentos mais relevantes. É preciso buscar os cursos que atendam às necessidades específicas de cada profissão. O SENAI iniciou neste ano, por exemplo, a oferta de 11 cursos de aperfeiçoamento voltados diretamente às tecnologias da indústria 4.0, como “Programação Móvel para Internet das Coisas” e “Explorando o Big Data”.

A previsão dos estudos sobre as profissões do futuro também é que algumas competências técnicas serão comuns a todos os trabalhadores, independentemente da área e da função que desempenhem. Na lista, além de programação, estão design, análise de sistemas e de dados, relacionadas diretamente à existência de máquinas inteligentes. Ganham relevância ainda características de personalidade já valorizadas no mercado de trabalho como pensamento crítico, inovação, aprendizagem ativa, criatividade, originalidade e iniciativa.

COMPETÊNCIAS

Segundo o trabalho do SENAI, o técnico em química, por exemplo, terá de adquirir conhecimentos básicos em nanotecnologia e em sistemas digitais, assim como ter pensamento crítico, adaptabilidade, flexibilidade e atenção a detalhes. Já o operador de processamento de grãos precisará ter noções de automação de controle e processos, de aplicativos de software, ter boa comunicação, gestão de tempo e aprendizagem ativa.

O trabalho de mapeamento das 30 profissões foi feito a partir do Modelo SENAI de Prospecção, metodologia que permite prever quais serão as tecnologias utilizadas no ambiente de trabalho em um horizonte de cinco a dez anos. O método já foi transferido a instituições de mais de 20 países na América do Sul e no Caribe.

A metodologia foi apontada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) como exemplo de experiência bem-sucedida na identificação da formação profissional alinhada às necessidades das empresas.

30 PROFISSÕES DA 4ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

AUTOMOTIVO

  • Mecânico de veículos híbridos
  • Mecânico especialista em telemetria
  • Programador de unidades de controles eletrônicos
  • Técnico em informática veicular

 

ALIMENTOS E BEBIDAS

  • Técnico em impressão de alimentos
  • Especialista em aplicações de TIC para
  • Rastreabilidade de alimentos
  • Especialista em aplicações de
  • Embalagens para alimentos

 

CONSTRUÇÃO CIVIL

  • Integrador de sistema de automação predial
  • Técnico de construção seca
  • Técnico em automação predial
  • Gestor de logística de canteiro de obras
  • Instalador de sistema de automação predial

 

TÊXTIL E VESTUÁRIO

  • Técnico de projetos de produtos de moda
  • Engenheiro em fibras têxteis
  • Designer de tecidos avançados

 

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

  • Analista de IoT (internet das coisas)
  • Engenheiro de ciber segurança
  • Analista de segurança e defesa digital
  • Especialista em big data
  • Engenheiro de softwares

 

MÁQUINAS E FERRAMENTAS

  • Projetista para tecnologias 3D
  • Operador de High Speed Machine
  • Programador de ferramentas CAD/CAM/CAE/CAI
  • Técnico de manutenção em automação

 

QUÍMICA E PETROQUÍMICA

  • Técnico em análises químicas com especialização em análises instrumentais automatizadas
  • Técnico especialista no desenvolvimento de produtos poliméricos
  • Técnico especialista em reciclagem de produtos poliméricos

 

PETRÓLEO E GÁS

  • Especialista em técnicas de perfuração
  • Especialista em sismologias e geofísica de poços
  • Especialista para recuperação avançada de petróleo.

 

Fonte: http://bit.ly/30profissões

O Globo Economia
Voltar